Por Érika dos Anjos |

No dia 29 de janeiro, é comemorado o Dia da Visibilidade de Transexuais e Travestis. A data foi criada em 2004, na ocasião do lançamento de uma campanha nacional elaborada por lideranças do movimento de pessoas trans, e desde 2016, após o Decreto Federal nº 8.727, o Nome Social declarado pelo interessado como é reconhecido, identificado na sociedade e compatível com a sua identidade de gênero é utilizado no Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro, que sempre apoiou a causa, tendo sido uma das primeiras entidades profissionais a adotar a medida.

À época da adoção do Nome Social na Carteira de Identidade Profissional (CIP) e na Carteira do Estudante da Administração (CEA), o diretor sociocultural do Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT, Julio Moreira, garantiu que a medida promove igualdade social e diminui a discriminação e a intolerância contra a comunidade LGBT.

“É um importante reconhecimento para a população trans essa iniciativa. Esperamos que outros conselhos tenham atitudes semelhantes, ainda mais com o aumento da violência com relação às pessoas que possuem opções sexuais diferentes”, salientou Moreira.

Esta também é a opinião do Adm. Wallace Vieira, presidente do CRA-RJ, que vê com muita alegria a emancipação desta parcela da população, ressaltando ainda que é a instituição sempre está atenta às demandas no mundo social, como por exemplo a questão ligada à diversidade.

“Nosso Conselho precisa dar visibilidade e estar presente na vida dos transexuais e travestis, com essa política de reconhecimento, com nome social do registrado em sua carteira profissional. Também, dada a amplitude da temática em questão, no grande evento que faremos este ano, a I Confex do Salão do Conhecimento em Administração, está programado uma conferência sobre  salão a adversidade e a inclusão social, onde debateremos temas de interesse da sociedade e da categoria” revelou o Administrador.

Outro ponto de atuação do CRA-RJ foi na sugestão da atualização das Diretrizes Curriculares Nacionais para cursos de Administração enviada ao CFA, após solicitação da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação.

“Ao verificar o excelente trabalho feito pelos nossos vice-presidentes, percebi a necessidade de colocarmos no currículo de ensino a inclusão e a demanda social, temas imprescindíveis para o profissional da Administração. Afinal, está é uma demanda próxima da gente, muito perto do gestor que deve saber interatuar no processo sistêmico da defesa dos menos privilegiados na sociedade brasileira, que ainda em fase de maturação e reconhecimento”, salientou o Adm. Wallace Vieira.

Pacto Global

O CRA-RJ é um dos signatários do Pacto Global da ONU desde 2012 que busca atuar sempre em paralelo com os príncipios destacados pela entidade. Um deles é quanto a questão do trabalho e a ‘eliminação da discriminação no emprego’. Na Agenda 2030, composta pelos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) do Pacto Global, a ODS 10 fala sobre ‘empoderar e promover a inclusão social, econômica e política de todos, independentemente da idade, sexo, deficiência, raça, etnia, origem, religião, condição econômica ou outra’ e ‘Garantir a igualdade de oportunidades e reduzir as desigualdades de resultado, inclusive por meio da eliminação de leis, políticas e práticas discriminatórias e promover legislação, políticas e ações adequadas a este respeito’.

É o CRA-RJ trabalhando em prol do engrandecimento da sociedade e da Ciência da Administração.