Por Josué Amador

O Tecnól. Gilvan Bueno, especialista em mercado financeiro, concedeu entrevista ao CRA-RJ sobre a abertura da Uber na Bolsa de Valores dos Estados Unidos. Ele explicou o funcionamento da empresa e quais aspectos negativos e positivos devem ser observados por quem deseja investir em suas ações.

Gilvan explicou que a proposta de modelo de negócios da Uber, há 10 anos, foi boa e rentável, porém, a sustentabilidade da organização não foi muito bem pensada. Atualmente, embora tenha iniciado no mercado financeiro avaliada em 82,4 bilhões de dólares (cerca de 325,2 bilhões de reais), a empresa tem gerado muitos prejuízos com o seu “carro chefe”, apresentando um risco para os investidores.

“A empresa não dá lucro. Nesse ano já deu um prejuízo de 1 bilhão de dólares. Então, ela queima muito caixa e falta recursos financeiros. Desde quando saiu o IPO, as ações já devem ter caído quase uns 15%, porque o modelo de negócios não é sustentável”, explicou.

No entanto, o lado bom é que a Uber tem uma capacidade tecnológica de armazenamento de dados das pessoas cadastradas na plataforma, tanto motoristas quanto usuários. Assim, a genial máquina da publicidade faz render algum lucro substancial para a organização e seus acionistas a médio e longo prazo.

Quem está com tempo para esperar a movimentação positiva de caixa, pode investir com ressalvas. No caso de brasileiros e outros investidores não estadunidenses, é um pouco mais complexa a transação, pois as ações foram abertas apenas nos Estados Unidos, mas é completamente possível.

“Eu não posso fazer nenhuma recomendação de investimento, mas o modelo de negócios tem que se provar e se você compra ações dessa empresa e caem 20% ou 30% é desafiador. Então, é preciso entender um pouco melhor e deixar ela se provar. Você pode me perguntar sobre qual seria o melhor preço para se investir. Bom, a ação saiu a 45 dólares e você já se torna sócio do negócio, mas o menor preço que ela pode atingir é zero, né?! […] Mas o que é uma ação? Não é um cassino. Ela demora para ter resultado, porque tem que ganhar mercado”, explicou Bueno.

A entrevista completa com o Tecnólogo Gilvan Bueno está disponível na Rádio ADM RJ. Acesse e confira!