Por Josué Amador |

A recessão econômica é um dos problemas que segue o isolamento social, necessário para desacelerar o contágio pelo novo coronavírus (Covid-19). Evidência disso é que algumas empresas estão encerrando suas atividades, demitindo funcionários, entre outras medidas. Nesse contexto, o papel do Marketing é de extrema necessidade para mitigar os prejuízos, porque envolve a análise de todas as etapas de um negócio, desde a sua concepção e lançamento até a reformulação, quando preciso.

Para o coordenador da Comissão Especial de Marketing do CRA-RJ, Adm. Luiz Henrique Santos, esse é o momento ideal para que o profissional de Marketing se destaque, devido à capacidade de elencar o passo a passo de um plano de negócios, definindo as ferramentas ideais para cada momento.

“As mídias sociais são de extrema importância para as relações de empresas com seus consumidores hoje em dia, mas podemos afirmar também que o marketing proporciona outras ferramentas teóricas e até físicas, que ajudam a desenvolver ações de promoção, recuperação ou alavancagem de produtos. Exemplo disto é o Mix de Marketing, que proporciona às empresas a possibilidade de realizarem um estudo atual de seus produtos, das estratégias de preço, das análises da praça ou local que está atuando, do público que está acessando sua marca e das formas de promoção do seu negócio no mercado. Ou seja, o marketing está mais vivo e atuante nesta crise do nunca”, defende Santos.

Apesar da necessidade do Marketing nesse período, Santos chama atenção para que o profissional da área não se acomode, porque o mundo não será o mesmo no pós-crise. Novas formas de atuação estão sendo descobertas nesse período, novos hábitos sociais serão iniciados e cultivados e a adaptação será indispensável para atender às demandas do públicos transformados.

“Uma realidade é certa, o mundo vai mudar após esta crise! E não será só o mundo social e afetivo não, será o profissional também. O mercado vai fortalecer mais ainda este processo de acesso e relações afetivas e comerciais-virtuais. A educação passará pelo mesmo processo, que já é um fato que vem ocorrendo em escolas e faculdades, mas que, sem sombra de dúvidas, deverá ser acelerado após este cenário que estamos vivendo”, explica.

Abaixo, você confere a entrevista com o Administrador Luiz Henrique Santos, coordenador da Comissão Especial de Marketing do CRA-RJ, com respostas na íntegra sobre o papel do Marketing durante e depois da atual crise.

CRA-RJ: Há uma grande preocupação com a recessão econômica, devido à paralisação de muitas empresas. Como o Marketing pode/deve atuar para mitigar esses prejuízos?

Adm. Luiz Henrique Santos: O Marketing é uma área da Administração que visa desenvolver ações e estudos focados em melhorar a imagem e experiência dos consumidores no uso do produto e serviço daquela empresa no mercado. Por isso, é de extrema importância que, mediante o cenário de necessidade que enfrentamos no mundo empreendedor, que estes donos de negócios, independentemente do tamanho, criem ações para continuar ou começar a promover seus produtos/serviços ofertados e sua marca, de maneira inovadora e criativa, e o marketing é fundamental para efetuar esse processo de “backoffice”.

CRA-RJ: Quais as principais ferramentas de Marketing que podem ou devem ser aplicadas em tempos de crises como esta?

Adm. Luiz Henrique Santos: Sem dúvidas, as ferramentas tecnológicas estão mais em alta que qualquer outro momento vivido pela humanidade e pelo mercado digital, isso é fato!!! As mídias sociais são de extrema importância para as relações de empresas com seus consumidores hoje em dia, mas podemos afirmar também que, o marketing proporciona outras ferramentas teóricas e até físicas, que ajudam a desenvolver ações de promoção, recuperação ou alavancagem de produtos ofertados pelas empresas. Exemplo disto é o Mix de Marketing, que proporciona as empresas realizarem um estudo atual de seus produtos, das estratégias de preço, das análises da praça ou local que está atuando, do público que está acessando sua marca e das formas de promoção do seu negócio no mercado. Ou seja, o marketing está mais vivo e atuante nesta crise do nunca!

CRA-RJ: Este é um tempo no qual apenas produtos digitais podem sobreviver ou há caminhos para que produtos/serviços físicos também se mantenham ativos? Quais seriam estes caminhos/alternativas?

Adm. Luiz Henrique Santos: Não podemos negar que as atividades digitais no mundo mais que dobraram, se pegarmos pelos dados de evolução do e-commerce no último mês. Mas as relações de comercio entre demandas e ofertas continuam ocorrendo com força e procurando se manter neste cenário de economia estagnada. Exemplo de caminhos que estão sendo seguidos e adotados como estratégias de negócio é a adoção de sistemas delivery, e não só de alimentos, mas da entrega de diversos tipos de produtos físicos. Outra estratégia que empresas estão adotando é parar de fabricar seus produtos “carros-chefes” e passar a produzir produtos que estejam sendo muito procurados e consumidos na atual crise, como álcool em gel e máscaras. Enfim, é preciso se reinventar e se adaptar ao momento, mas de maneira pensada e planejada.

CRA-RJ: Como agências de publicidade e propaganda, por exemplo, podem fazer para sobreviver nesse período apenas com Marketing Digital e reuniões não presenciais?

Adm. Luiz Henrique Santos: Essas áreas estão sendo muito requisitadas para realizarem planejamentos e criação de novas formas de promover a imagem no mercado de empresas de diversos tamanhos, mas principalmente as de grande porte e multinacionais. Mas as empresas de portes menores também estão comprando pacotes mais acessíveis para investimentos, principalmente, em mídias sociais. Outra área de empresas que está crescendo muito é a das plataformas de vídeos e conteúdos diversos on-line e on time, pois praticamente todo andar das empresas e seus cotidianos atualmente está sendo virtual e home-office, essa é uma realidade que, provavelmente, virá para ficar. Com isso, acredito que essas agências de publicidade e propaganda não estejam tendo a menor dificuldade para se adaptarem a realidade das relações virtuais, pois este já é um processo e cotidiano que realizam há muito tempo em suas rotinas, só agora adaptando mais ainda ao cenário atual.

CRA-RJ: Quais serão os caminhos a serem percorridos pelos profissionais de Marketing no pós-crise, para recuperar o que foi perdido durante a quarentena?

Adm. Luiz Henrique Santos: Uma realidade é certa, o mundo vai mudar após está crise! E não será só o mundo social e afetivo não, será o profissional também. O mercado vai fortalecer mais ainda este processo de acesso e relações afetivas e comerciais virtuais. A educação passará pelo mesmo processo, que já é um fato que vem ocorrendo em escolas e faculdades, mas que, sem sombra de dúvidas, deverá ser acelerado após este cenário que estamos vivendo. Então, o profissional de Marketing deve se atualizar, enfrentar as barreiras que ainda tem com ferramentas tecnológicas e se aprofundar cada vez mais nelas, criar alternativas e diferenciais com mídias, sistemas e softwares, que serão demandados em um futuro bem próximo.