Pela estagiária Bárbara Gouvêa
Com supervisão de Érika dos Anjos

Os professores Márcio Santos Souza e Adm. Wagner Salles trouxeram uma reflexão sobre os modelos organizacionais durante a palestra “Gestão do Turnover: problema ou solução?”, realizada na sede do CRA-RJ. Os palestrantes falaram do comprometimento do funcionário com a empresa, terceirização dos problemas e resolução de conflitos.

O Adm. Wagner Salles iniciou o evento falando da racionalização de métodos e causas para entender os efeitos e impactos numa boa gestão. O Administrador ainda ressaltou que o turnover, que é a rotatividade de pessoal, é um desafio para a organização.

“Formas diferentes de comprometimento traduzem para gente uma imagem de absenteísmo branco, que é aquele em que a pessoa está presente fisicamente no trabalho, mas o espírito está em outro lugar. Ela está cumprindo o seu trabalho, mas não está produzindo o que poderia. Esse é o pré-absenteísmo físico, que vai levar depois a rotatividade de pessoal. A rotatividade nada mais é que a declaração de que não vale mais a pena ficar na empresa”, salienta o Administrador.

Para o Profº Márcio Santos Souza, a rotatividade é uma métrica que impacta em diversos indicadores. Ele ainda ressalta que, em um cargo maior na organização, o profissional deve pensar em ferramentas que auxiliem nesse controle e tomada de decisão, alertando também as causas do desinteresse dos profissionais.

“Quando você está na operação, você tem muito contato com pessoas. Só que a medida em que você vai ascendendo na hierarquia da empresa, você passa a ter menos contato com pessoas e mais contato com reuniões, processos, KPIs e indicadores. Então seu modelo de gerenciamento agora tem que mudar, porque agora você não é mais responsável apenas pelos seus processos, mas sim por um grupo de processos em que outras pessoas estão inseridas”, reforça o professor.

Confira a palestra completa no CRA-RJ Play e, em breve, na Rádio ADM RJ.